Lima – Peru

COMUNIDADE DE LIMA – PERU – 2009

O amor não tem idade para gerar vida nova!

Através das viagens de pastoral vocacional da Ir. Jacinta Rampazzo e Ir. Patrícia Rojas Ibañez e, posteriormente, da Ir. Patrícia e Ir. Celite Frare, por incentivo do Pe. Roberto, carlista, residente no Chile, mas tendo trabalhado no Peru. As Irmãs, por delicadeza pastoral, apresentaram-se aos bispos de Huancayo, Mons. Barreto SJ e Mons. Adriano Tomasi, em Lima.

Primeira Comunidade com Mons. Adriano Tomasi Estes, pouco tempo após a visita das Irmãs, enviaram cartas à Provincial, Ir. Marisa, solicitando a presença numa missão. A resposta ao Mons. Barreto foi negativa, por termos sido aconselhadas a que, no caso de vir a assumir uma missão, o fizéssemos em Lima em vista da formação, etc. Também à carta do Mons. Adriano Tomasi foi respondido que, naquele momento, não havia possibilidade de pensar numa missão, considerando a nossa realidade de Província.

Porém, Mons. Adriano Tomasi, bispo franciscano, insistia, escrevendo de tempos em tempos, sempre informando sobre a situação do terreno, patrimônio cultural de Lima, onde pretendiam construir; informava sobre o tamanho da casa e o número de enfermos pobres que seriam acolhidos, onde as Irmãs iriam morar, etc… Ainda em abril de 2008, recebemos uma carta, referindo-se ao Capítulo Geral e dizendo que aguardaria as decisões com muita esperança.

Considerando as palavras da Madre Geral de não sermos indiferentes a esse pedido, nos dispusemos a pelo menos ir ver, conhecer o lugar, ouvir a proposta e ter um maior número de informações a respeito para podermos discernir pelo sim ou pelo não.

Em nossa visita, de 19 e 20 de dezembro de 2008, fomos calorosamente recebidas pelo próprio bispo Monsenhor Tomasi (Paci), que nos foi buscar no aeroporto e que naqueles dias nos preparava a mesa e o café da manhã (claro que logo percebemos e o ajudamos)> com uma simplicidade e santidade de pessoa que só pensa no bem dos pobres, no frio e na fome que os pobres e os enfermos sofrem.

A obra está apenas em seu começo como construção, localizada nos Bairros Altos de Lima, local considerado extremamente pobre, com alguns riscos próprios de periferia, O terreno é patrimônio histórico-cultural e deverá manter a característica na fachada, de arquitetura colonial. Os trabalhos de construção da casa estão bastante adiantados, mas atrasados segundo o contrato previsto para 28 de abril. A data de inauguração já sofreu algumas mudanças e, finalmente, será no dia 28 de agosto. Acompanham os trabalhos de execução da obra o engenheiro Martin, o arquiteto Alberto e o administrador Teobaldo (um voluntário francês), com a presença marcante do Mons. Adriano Tomasi OFM.

A obra visa acolher 80 enfermos entre os mais pobres. E a finalidade é a de receber os doentes pobres que são atendidos no hospital Dois de Maio, a duas quadras de distância, e de outros hospitais da circunvizinhança, para que se recuperem de cirurgias e outros processos, antes de irem para casa, mesmo porque não têm condições de irem para casa devido à distância, falta de recursos e de cuidados. Também servirá para os pobres que vêm da periferia e da região campesina, para exames de saúde, às vezes necessitando ficar por alguns dias aguardando resultado e apresentação dos mesmos para fins de internação para procedimentos cirúrgicos. Neste meio tempo, eles dormem pelas estradas e ruas da capital.

A obra terá uma equipe de coordenação, e uma associação de pessoas que providenciará o sustento, além de convênios e outros contatos que serão feitos. Além disso, Lima conta com um centro de voluntariado, e uma escola de enfermagem assumirá sua parceria.

Quanto ao fuso horário, o Peru tem duas horas a menos em relação au Brasil; o clima é bastante árido, com poucas chuvas, na verdade é mais garoa do que chuva e, no verão, é relativamente quente.

Na data de 20 e 21 de dezembro de 2008, Ir. Dilce Pasini e a Superiora Provincial, Ir. Marisa Inêz Mosena, viajaram até Lima para conhecer a missão. Todas as pessoas que as conheceram esperam a vinda das Irmãs e já expressam um sorriso e um brilho nos olhos e, ao mesmo tempo, uma súplica calada: venham nos ajudar.

É clara a vontade de Deus a respeito desta missão: não tem como dizer um não. Na partilha, junto às Irmãs da Comunidade do Chile escutamos: é a hora de Deus na Congregação, sobretudo porque é uma missão muito querida pela Fundadora: os enfermos pobres e serão atendidos os mais pobres dentre os enfermos pobres. É coisa de Deus!

A data pretendida para a inauguração era dia 28 de abril de 2009, dia do Santo Toríbio de Mongrovejo. Mas, pelo andamento dos trabalhos, foi protelada para o dia 18 de julho, data também adiada para 28 de agosto, na qual possivelmente os trabalhos estarão concluídos. Mas por orientação de Mons. Adriano Tomasi, será bom que as Irmãs estejam algumas semanas antes da inauguração para dar alguma orientação ou opiniões quanto à organização final.

No dia 05 de julho, as Irmãs Dilce Pasini, Jacinta Rampazzo e Sonia Maria Lima, juntamente com as Irmãs da Comunidade de Santiago do Chile e a Superiora Provincial participaram da Missa na Paróquia São Crescêncio, quando foi realizada a entrega do Crucifixo Missionário e dada a bênção especial e envio para a missão junto do povo de Deus ali presente.

No dia 06 de julho, de manhãzinha, as Irmãs foram levadas ao aeroporto com a camioneta do Dr. Jorge Neira, acompanhadas pela Ir. Marisa e a Ir. Teresinha Scalco.

Dia 28 de agosto, conforme previsto, realizou-se a inauguração da Obra, ainda com muito trabalho para concluir, tanto a construção, quanto à mobília e organização. Esta inauguração ocorreu nesta data já fixada e não foi possível adiar devido às autoridades que deviam estar presentes: por primeiro, o Cardeal Juan Luis Cipriani Thorne, Arcebispo de Lima, cuja obra foi a ele dedicada como presente pelos seus 10 anos de missão na Arquidiocese. Os Padrinhos que tanto colaboraram na obra e na doação 120 camas, tecidos, cadeiras de rodas e outros, vindos de Trento.

Estavam presentes a Sra Lia Beltrame Giovanazt primeira ministra da Província Autônoma de Trento, o embaixador da Itália, o Ministro da Educação de Lima Diose Antonio Chang, representando o Presidente da República. Estiveram presentes para o ato de inauguração a Superiora Provincial Ir. Marisa Inez Mosena e a Conselheira Provincial Ir. Iria Comim. Foi registrada a presença de muitos outros religiosos e religiosas de três Bispos auxiliares, nosso Pároco Pe. Jesús Mendoza, padres Camilianos, Madre Geral e várias Irmãs Franciscanas da Imaculada Conceição as Irmãs estão hospedadas, membros da Associação Religiosa Leiga com sua Presidente Dra. Ana Maria Brazzini de Basadre, enfermeiras da Escola de Enfermagem que trabalharão como voluntárias, muitas outras pessoas convidadas pelo Monsenhor Adriano Tomasi Travaglia. Que esta obra seja, de fato, uma sinfonia de amor, como disse o Cardeal Juan Luis em suas breves palavras.

En este momento en que se inicia una nueva obra de caridad sea esta una responsabilidad de todos nosotros llevar adelante y sustentar esta misma misión. También en este momento con la presencia de las hermanas Ministras de los Enfermos queda plantada como semilla del Espiritu Santo con su carisma de la misericordia.

Comunidade N. Sra das Dores – Lima, Perú.

Deixe uma resposta

Ministras dos enfermos de São Camilo

LINKS IMPORTANTES. DA CONGREGAÇÃO
CAMILIANAS
Ministras de los enfermos-Chile
Camilianas Chile
Camillian Sisters in the Philippines

OUTROS LINKS
Ministri degli Infermi
Religiosi Camilliani Italiani
Centro de Espiritualidade Cristo Rei