Feira de Santana – BA

PRESENÇA DAS IRMÃS MINISTRAS DOS ENFERMOS NA MISSÃO DE FEIRA DE SANTANA – BAHIA

Outra comunidade na Bahia São Gonçalo

Construir a nossa história, fazendo memória, é reviver com alegria o prazer da missão cumprida em nome daquele que nos chamou, consagrou e enviou para revelar ao mundo o rosto materno e misericordioso do Deus da vida.

Em fevereiro de 1989, as Irmãs Ministras dos Enfermos de São Camilo, a convite do saudoso Mons. Hermenegildo de Castorano, retornaram ao solo baiano e se estabeleceram na cidade de São Gonçalo dos Campos, assumindo pastorais junto à comunidade paroquial, bem como a formação das jovens candidatas à vida consagrada. Pouco tempo depois, surgiu a necessidade de outra comunidade na mesma cidade onde uma Irmã assumiu a organização da Santa Casa de Misericórdia e, mais tarde, a maternidade. As Irmãs deram o máximo com o objetivo de melhorar a qualidade dos serviços prestados aos doentes e até mesmo se desdobraram para aquisição de materiais e alimentos, porém faltava dinheiro. Por isso, depois de alguns anos, não tendo mais condições de pagar o justo salário para Irmãs e funcionários, o hospital fechou por tempo indeterminado. Foi neste contexto que a Congregação tomou a iniciativa de vender uma das casas com o objetivo de comprar outra em Feira de Santana por ser uma cidade que oferecia maiores possibilidades de emprego, bem como a existência de muitas Congregações, podendo facilitar a formação inicial das jovens. Sendo assim, depois de muita busca e discernimento, foi vendida a casa e comprado um terreno com uma pequena casa no loteamento Cinco Estrelas, assim chamado na época. Pelo fato de a casa ser pequena demais, foi iniciado o trabalho de ampliação. Lutas e sacrifícios não faltaram, mas a graça de Deus se fez presente em todos os momentos, sendo possível a chegada das Irmãs no dia 27 de maio de 1998. Vale ressaltar as condições de extrema pobreza da população, a falta de saneamento básico, a dificuldade de transportes, etc.

Esta nova comunidade passou a ser a sede da Delegação do Nordeste e foi formada pelas Irmãs Teresa Salvagni, exercendo a missão de delegada regional, Domingas Stella e Auxiliadora Ferreira.

Olhando para a realidade de pobreza e a presença de um número significativo de crianças, as Irmãs, de forma gradativa, começaram a conhecer o povo e solicitar ajuda para a formação de um grupo de senhoras para o trabalho da Pastoral da Criança. Conseguiram 10 voluntários, entre eles senhoras e jovens, que foram capacitados para o exercício dessa missão de forma gratuita, simplesmente por amor à vida de tantas crianças, pois muitas morriam desnutridas. O desafio maior foi conseguir um local adequado para realizar esta missão. Deus nunca as abandonou! Um senhor de nome Misael, com toda a sua família, ofereceu o espaço da sua chácara. Onde, embaixo das arvores e muitas vezes pisando em lama, realizaram esta pastoral por um período de 10 anos, chegando a ter 180 crianças cadastradas. Pode ler-se, nas entrelinhas, todo o esforço, sacrifício e dedicação para realizar esta pastoral, sem nenhum recurso financeiro. Isso só foi possível com a ajuda por parte de alguns, mesmo porque o povo do bairro era muito pobre, aliás continua sendo.

Para ter ideia da nossa subsistência, uma das Irmãs trabalhava na Clínica CLIMESAM, outra era aposentada, sendo que outra era mais liberada para a assistência em domicílio. Socorriam a uns e a outros, pois na localidade não havia Posto de Saúde. É bom lembrar que no Bairro não havia igreja católica e o povo se encontrava como ???Ovelhas sem Pastor???. Portanto, a convite das Irmãs, um grupo de senhoras vinham à nossa casa e rezavam o terço semanalmente. Em 15 de julho do mesmo ano, foi celebrada a 1ª Missa na casa das Irmãs, presidida pelo Mons. Hermenegildo, por ocasião da festa de S. Camilo; no mesmo dia também foi dada a bênção da casa. Estiveram presentes as Irmãs da comunidade Nossa S. Aparecida (São Gonçalo dos Campos), as Irmãs de São José de Chambery, amigos e vizinhos.

Por alguns anos, a comunidade foi formada somente por Irmãs; posteriormente, Deus as agraciou com vocações, sendo necessário construir alguns cômodos na parte de cima para acolher as jovens para a formação inicial. Após alguns anos, as primeiras Irmãs foram transferidas, e chegaram outras que, com fidelidade, deram continuidade ao que tinha sido implantado e batalharam para trazer novos projetos para a comunidade local. Visto que no Bairro só havia igreja de outras religiões, sonhavam com a construção de uma igreja católica e, através do Sr. Manoel Amorim, ex-vereador, conseguiram um terreno que pertencia à Prefeitura, e mandaram cercá-lo para este objetivo. Tiveram que regaçar as mangas para conseguir verbas e começar o alicerce. Com um grupo de leigos, foi organizada a 1ª festa no Bairro, com leilão, bingo, jogos, almoço e várias diversões a fim de arrecadar fundos para o início da construção. Foi tudo muito bonito! Para o povo, tudo era novidade, e diziam: ???As Irmãs chegaram e estão conseguindo mudar muitas coisas!??? Dava gosto de ver homens, mulheres e crianças participando de mutirões. Os camilianos fizeram inicialmente uma doação de R$ 1.000,00, utilizados na compra de ferro para começar a obra. A construção levou dois anos para ser concluída. Dois anos de muito trabalho para conseguir materiais de construção e verbas. Apesar de tantas dificuldades, foi possível inaugurar a igreja no dia 14 de julho de 2002. O próprio povo escolheu o padroeiro e denominou-a de capela São Camilo. Os principais colaboradores foram: Empresa Belgo Bekaert, padres redentoristas, padres camilianos, Dolores Pasini e a Adveniat com pequena contribuição para o telhado. Vale ressaltar que todo o trabalho foi feito em mutirão com os pedreiros do Bairro. A partir da igreja, a comunidade teve uma maior organização e se formaram vários grupos que se engajaram na caminhada de fé, comunhão e participação; são eles: Família Maria Domingas, grupo de jovens, infância missionária, liturgia, catequese e, recentemente, o grupo do terço dos homens e coroinhas.

Em paralelo com a fé, se preocupavam com a vida do povo sofrido, perspectiva de ações mais organizadas, recursos para projeto com crianças e adolescentes, geração de renda, atividades voltadas para a saúde. Convocaram o povo para uma assembleia quando elegeram a primeira diretoria, fundando o Centro Comunitário Luz e Labor. Encaminharam o Estatuto para ser registrado no Cartório; outros documentos foram conseguidos gradativamente. Hoje já somos reconhecidos como utilidade pública municipal e estadual. Com o objetivo de construir a sede, foram encaminhados vários pedidos de ajuda para o exterior, sendo todos negados. Quantos sofrimentos e angústias! Não podemos nega que passamos por um momento de desânimo, porém nunca perdemos a esperança e a garra de continuar buscando luzes através de pessoas generosas. A firma Belgo começou a nos ajudar com a doação de papelão e plásticos; puderam, assim, alugar uma pequena casa, onde começaram a realizar as atividades em ambiente apertado. Mas Deus é providente, e, através da Ir. Inês, das pobres servas, conseguiram o endereço do Sr. Marco Oliva, na Itália, para o qual enviaram o orçamento da construção. Alguns meses depois, ele veio conhecer o local e, tendo constatado a pobreza do povo e gostado do nosso espírito missionário, liberou a verba para o início da obra, oitenta e três mil reais (R$ 83.000,00). A graça de Deus se manifestou superabundante! Neste mesmo tempo, o Ministério Público de Feira de Santana nos procurou para a doação de uma verba, proveniente de uma multa, que foi usada para construir uma parte da obra. Juntando a ajuda da Fundazione Cândia (Itália) e a do Ministério Público, deu para realizar o sonho e desenvolver os trabalhos num espaço mais digno. A construção do Centro Comunitário Luz e Labor foi inaugurada no dia 14 de julho de 2008. Já está funcionando, tendo sido realizados vários cursos profissionalizantes. Junto aos órgãos públicos estamos procurando meios para servir melhor a comunidade mediante políticas sociais e políticas públicas que assegurem os direitos no enfrentamento da pobreza.

Hoje, o nosso bairro chama-se “Liberdade”, onde atualmente atuam Ir. Salete Prata, Ir. Domingas Stella e Ir. Lucia Walker. É principalmente nesta área que procuramos liberar a vitalidade do nosso carisma, porém a nossa missão não tem limites. Uma Irmã colabora na formação das lideranças com cursos e palestras em nível da paróquia.

Assim, queremos agradecer a Deus, à Mãe Fundadora Maria Domingas e a S. Camilo por tudo que está sendo realizado e, de modo especial, agradecer às pessoas que de uma forma ou de outra nos ajudam e apoiam nesta missão. Celebrando os 60 anos de presença no Brasil, elevamos uma prece ao Senhor da Messe por mais vocações e fidelidade de todas nós.

Deixe uma resposta

Ministras dos enfermos de São Camilo

LINKS IMPORTANTES. DA CONGREGAÇÃO
CAMILIANAS
Ministras de los enfermos-Chile
Camilianas Chile
Camillian Sisters in the Philippines

OUTROS LINKS
Ministri degli Infermi
Religiosi Camilliani Italiani
Centro de Espiritualidade Cristo Rei